…Caverna d'Zion…

Deus não é Fanático!

Posted in Artigos Pessoais by Segundo on janeiro 3, 2009

0065Fanatismo chega ser algo engraçado, falo isso, para não exaltar a seriedade de tal comportamento, tanto para o individuo quanto para a sociedade, um exemplo bem claro são as guerras religiosas“religiosas” até o momento, pois tem envolvimento político e conseqüentemente financeiro em jogo… porque se fosse a simples e pura “religião” sem envolvimento de alguma forma de poder e comando não existira guerra… (a religião é uma “desculpa” para apenas dividir os jogadores colocando cada um nos seu time)

“… sejas encarregado da casa do SENHOR sobre todo o homem fanático, e que profetiza, para o lançares na prisão e no tronco.” Jr 29:26

Jeremias fala que todo fanático deve ser lançado na prisão e no tronco. Depois que li esse texto fiquei a refletir sobre a dura pena para quem é ou está fanático. Pensei que seria pena muito dura… ou que talvez não seria moral/ético esse tipo de pena!!! Contudo, se pessoas que não estão no nível de razão e normalidade social podem de alguma forma prejudicar ou comprometer bom convívio social são internadas em instituições que as protegem para: em 1°lugar não se ferirem e em 2°lugar para não causarem maiores transtornos sociais é bem louvável que em detrimento de tal bem maior (RES PUBLICA) isso seja justificável (ou talvez ate a RES EVANGELIOM, essa parte é brincadeira).

Falando como bom cidadão isso parece até patriotismo, cuidar do interesse público zelando por sua “normal” ordem social. Mas quando falamos do lado Cristão, do lado bíblicotodos podem pensar que a questão é branda!!!! Muito pelo contrário… aí que a coisa fica séria… não falamos mais em nome do bem comum ou de ordem social… falamos da reputação de um Ser... isso mesmo reputação que vem do latim “reputare” que significa: julgar, considerar; dar reputação. isto é… atribuir com valor externo algum julgamento pessoal.

182-8248_imgQuando um fanático faz alguma “coisa” ele não envergonha a ele e sim a quem ele faz menção….

Deus não se deixa escarnecer; porque tudo o que o homem semear, isso também ceifará.” (Gálatas 6:7).

Então cheguei a conclusão que de fato lança-lo na prisão e no tronco não é uma pena tão dura quanto poderia ser o juízo de Deus sobre a vida desse indivíduo e por um outro aspecto é até mesmo uma forma de proteger essa pessoas de sair fazendo besteira e atraindo a ira de Deus sobre ele… Contudo, até agora, foi falado apenas de juízo, não foi mencionado o que fazer ou a conseguencia disso na vida de um fanático.

Tem gente que atribui o fanatismo como um transtorno psicológico, então é uma patologia e por isso deve ser tratada como uma doença mental outros mais místicos atribui como estado de “fé” e alguns outros como oportunismo em detrimento de interesses próprios… entretanto seja qual for, tanto a início quanto a motivação para o fim que se quer alcançar a questão é que isso meche com algo muito delicado… que é a natureza de Deus.

Atribuir anormalidade, pois fanatismo assim o é, a um Deus que é justo (me refiro ao cristão fanático) é totalmente inadmissível é negar o poder criador e soberano do próprio Deus. Podemos considerar por um lado, que o FANATISMO é o contrário da RELIGIÃO.

Enquanto a RELIGIÃO delimita, dita “moda” e padrões o FANATISMO extrapola esses mesmos limites que a religião de “certa forma” impõe…

fanatismo-religioso_1_imagengrandeO tinhoso, o cão, o chifrudo ou seja lá por qual nome vc o conheça é muito astuto tanto para ser religioso, quanto para ser fanático. Se o diabo fosse religioso e fanático nunca conseguiria atrair ninguém, porque tanto o religioso quanto o fanático assusta… contudo o diabo sabe muito bem como utilizar esses defeitos humanos (brechas) a seu favor… e é uma arma que a muito tempo tem sido utilizada por ele com um alto índice de aproveitamento… mas o mais triste é que o credenciamos e disponibilizamos a fazer o que ele quer… verdadeiras marionetes!!!

“Eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância” (Jo. 10:10). Abundância vai além da normalidade… contudo não é desiquilíbrio… por mais que estejamos cheio do poder de Deus e as pessoas não entendam as nossas ações nem muito menos nossa fé a própria palavra de Deus nos exorta pra que sejamos vigilantes não nos deixando envolver pelo nosso próprio desejo de querer tomar o lugar do próprio Deus… ultrapassando a qualidade de filho… tomando as dores que não são nossas e nos colocando ou pelo menos tentando estar numa posição onde ele nunca nos colocou… nos comportando fanaticamente!!!!

xmasmanger2Que não venhamos a envergonhar o nosso Deus agindo de forma fanática… mas que venhamos a agrada-lo com nossa vida real por mais dura e feia que possa ser o momento que estejamos passando e não cedendo a vaidade de oferecer para Ele uma ilusão bonita e adornada do nosso fanatismo.

Anúncios

Num pequeno comentário, uma grande oração!!

Posted in Artigos Pessoais by Segundo on dezembro 31, 2008

Uma amiga fez um comentário (sobre o artigo anterior “Lá vida é Bela…” ). Fiquei surpreendido pela forma tão bela e simples de suas palavras… foi uma verdadeira oração… uma oração que muitas vezes não fazemos… e por isso decidi compartilha com vocês:

agirA Bíblia nos fala que, há tempo para todas as coisas debaixo dos céus. Creio que hoje é tempo de mudança, de colocarmos em prática tudo aquilo que ele tem nos ensinado, aprender a agir e não deixar que o tempo passe sem tirarmos proveito de tudo que foi ensinado. Mas espere um pouco…..?!? O furacão vem chegando, temos medo de não completarmos a tarefa, somos falhos e cheios de defeitos; será que isso impedirá a nossa caminhada? Pedras no caminho sempre teremos, falhas e frustrações também, mas se Deus é quem esta a nos guiar, não devemos temer em continuar! O caminho esta estreito, cuidado devemos ter, deixar a mente limpa para o que vem de Deus prevalecer; o tempo esta se esgotando e não fizemos tudo ainda, é ai que Ele entra, e nos carrega em seus braços, e diz que em todo o tempo eu estava do seu lado!

ajoelhadoAprender pode até ser fácil, o difícil é colocar em prática, saber onde e quando algo deve ser feito, são tantas coisas que enfrentamos de uma vez, o nosso coração fica apertado, mas a mente ainda esta agitada, depois de pedirmos tanto a Deus para acalmar. Isso é sinal que não aprendemos tudo ainda, mas um grande passo já foi dado, e o caminho não é fácil não, a todo tempo somos cobrados, atitudes devemos ter, mas “Senhor, tanta coisa assim eu não consigo, Apresa-te em me socorrer!” O meu coração chama por ti, me ajude, não quero parar no meio do trajeto e perder a Vitória que me espera na linha de chegada.

O segredo é não parar, somos humanos, erramos, caímos, esquecemos; mas Ele esta a nos guiar, o cair é do homem mas o levantar vem de Deus, e desse modo ele nos levanta se buscarmos com fé e não desviarmos do alvo, a Vitória será certa!

Creia nisso você também!!!!!

Alcançando: “Peso de Glória” (2°Cor.4:17)

Posted in Artigos Pessoais by Segundo on dezembro 2, 2008

pesoNinguém gosta de sofrer e as vezes usamos métodos de auto-defesa para não sofrermos e camuflamos a realidade ao nosso modo. É totalmente normal o ponto de não querermos sofrer. Contudo, quanto usamos subterfúgios, para nos defendermos ou minimizarmos o impacto da realidade que nos cerca, além de estarmos andando em um caminho ilusório também estamos perdendo a oportunidade de crescer com pessoas.

Hoje, é muito comum percebemos que as pessoas estão cada vez mais procurando ter o controle da vida em suas mãos, elas não querem que nada sai fora de controle, querem estar o mais cômodas possíveis. Passa a ser quase uma questão de status ter “o controle da sua própria vida nas mãos.” Isso séria possível? ou é apenas um modo de autodefesa, ou em palavras mais grosseiras, seria uma desculpa para nós escondermos atrás do nosso “EU” e fugirmos da situação de dificuldade ao invés de enfrentá-la.

chingamentoPassamos por determinado momentos em nossas vidas que parece que tudo nos foge ao controle. Aquele chão que anteriormente tínhamos parace que não exite mais. Nós, como seres dotado de faculdades sociais e naturais estamos sujeitos a esses infortúnios a todos os momentos, em nossas diversas relações, seja afetiva, material, familiar, intelectual, social e até mesmo espiritual.

Será que já tivemos ou podemos ter controle de nossa vida? Seria isso possível? Ou tínhamos somente uma mera expectativa de normalidade do que poderia vir a acontecer?

A Bíblia nos relada a história de Josué, discípulo fiel de Moisés. Nisso, quero remeter a um episódio da vida de Josué para mediar e exemplificar o que várias vezes passamos em nossas vidas.

Josué era homem de guerra, valente, também era sábio e falava com eloqüência e podemos até mesmo considerar Josué um filho espiritual do grande estadista e profeta Moisés. Josué foi escolhido por Deus para ser sucessor de Moisés e mesmo estando tão perto de Moisés e testemunhando do que o Deus fazia no meio do povo de Israel quando se deparou com a missão de conduzir o povo, isso, após a morte de Moises, ele desfaleceu: 

(…) Ninguém vos poderá resistir em todos os dias da tua vida; como fui com Moisés, assim serei contigo; não te deixarei nem desampararei(…) Tem ânimo e sê forte … e reveste-te de grande fortaleza para observar e cumprir toda a lei que Moisés, meu servo, prescreveu (…) não tenhas medo nem temor, porque o Senhor teu Deus está contigo em qualquer parte para onde fores(Josué. 1, 7-9).

 Pela proximidade que Josué tinha com Moisés e por tudo que ele já tinha presenciado, aos olhos humanos, ele não tinha o que temer pois tinha um chão bem firme para pisar, ele estava a par de tudo que acontecia no arraial de Israel, em outras palavras, ele poderia dizer que estava no “controle”, e o melhor de tudo, o próprio Deus o escolheu.

As vezes estamos como José, tem hora que temos o controle de tudo, parece que nada pode dar errado pois já estamos seguros por todos os lados, mas mesmo assim somos assolados pelo descontrole que gera em nós desânimo, fraqueza, em outras palavras, sentimentos que mesmo Josué com toda estrutura e controle que tinha da situação não foi o suficientes para o livrar de ficar abatido.

O que nos faz merecedor desse crédito? Sendo que nós, mesmos, nos auto-titulamos de termos o controle de nossa vida em nossas mãos.

Ter controle em nossa vida é fundamental. Contudo, fazer desse controle uma “base” ou até mesmo um “alicerce para vivermos e construirmos a realização de nossos sonhos e projetos é um verdadeiro erro.

Isso porque cada um de nós somos seres que pensamos diferentes. O que é controle para uma determinada pessoa, pode não ser para outra. Temos conceitos e ideologias diferentes.

Cada um de nós somos frutos de um processo e cada um de nós temos vivencias diferentes no decorrer de nossa vida. Logicamente somos seres diferente um dos outros por natureza e essa diferença vai muito além do físico ou do comportamento, ela chega a definir nossos valores e conceitos que temos do mundo e de nós mesmos.

A Bíblia nos fala que: “O temor do Senhor é o princípio da sabedoria…” (Sal. 111:10). Que isso seja verdadeiramente nossa base, nosso alicerce e nossa referência. Contudo, podemos perceber, conforme essa palavra, que o “O temor do Senhor” é apenas o “princípio” para um andar sábio.

Essa passividade de ser modificado pelas coisas que nos cercam é na verdade um benção e não uma maldição. Para que venhamos crescer é necessário que exista algo que nos modifique. Não existe crescimento sem modificação! Para crescer você tem que sair do estado anterior que você tinha ou no qual vc se encontrava. Podemos dizer que no momento que somos atingidos por alguma aflição ou tribulação somos obrigados a sair do estado e do local que nos encontramos, pois ela se torna uma posição incomoda. Um momento de aflição nos proporciona uma porta aberta para crescermos e é um ferramenta para amadurecermos e nos desenvolvermos.

Uma coisa é certa, por mais que estejamos sem norte, sem segurança, independentes e inseguros o que nos faz ser alguém estável e próspero é a forma com que nos comportamos tanto na falta quanto na abastança, tanto no momento atribulado quando no momento de calma. Em outras palavras, não é o controle que temos ou deixamos de ter da nossa vida, que nos faz melhores ou piores e sim a forma que nos portamos em cada uma delas.

Existe, existiu e sempre existirá situações que vão fugir ao controle de nós, pois somos criaturas e não o criador. Situações que não são necessariamente ruim, pelo fato de ser difíceis, mas que nos dão a possibilidade de crescer e nos desenvolver como seres humanos, isso em todas as área de nossas vidas.

A Bíblia nos fala que “No mundo, passais por aflições; mas tende bom ânimo; eu venci o mundo.” (João 16:33) quando lemos isso percebemos que o próprio Jesus estava bem consciente que não seria todo os dias que teríamos as rédias de nossas vidas em nossas mãos… Ele não somente nos dá um norte ou um caminho Ele nos dá “O norte” “A direção” que é ELE MESMO… Ele diz “Eu venci”. No mesmo versículo no início Ele diz: “Estas coisas vos tenho dito para que tenhais paz em mim.” O Salmos 34:19 fala que “Muitas são as aflições do justo, mas o SENHOR de todas o livra.”

A Bíblia nos dá um conselho para aquele que anda em aflição, sem as rédias da própria vida, sem expectava ou norte, seja por apenas um momento ou outro, ou talvez já se tornou refém do seu descontrole. Não procure pela sua própria força mudar suas adversidades, antes procure mudar a forma de vê-las e de encará-las. Não se acomode em dizer: – Tenho o controle da minha vida em minhas mãos. Nem seja prepotente e apático também ao dizer: – Isso é passageiro, todo mundo passa um momento ou outro de aflição.

A palavra de Deus nos fala que “(…) nossa leve e momentânea tribulação produz para nós eterno peso de glória, acima de toda comparação(2 Coríntios 4:17). Lembra de Josué? Ele não confiou em sua estrutura ou em ter o domínio da sua vida em suas mãos, nem muito menos se escondeu atrás do seu “EU” e a Bíblia relata em que: “Israel serviu ao Senhor durante todo o tempo da vida de Josué e dos anciãos que viveram muito tempo depois de Josué, e que sabiam todas as obras que o Senhor tinha feito em Israel” (Jos. 24-31).

arkofcovenantPodemos dizer que, verdadeiramente, Josué conquistou “peso de glória“, simplesmente pelo fato de não deixar que o aparente controle que tinha em suas mãos viesse a ser sua estrutura ou sua base para firmar a realização de seus projetos e até mesmo do que Deus tinha preparado para ele.

Então, ao invés de continuarmos a fazer tantas perguntas se estamos ou não seguros do controle de nossa vida nos é mais importante permitir estar disposto a encarar as lutas diárias como oportunidade de crescimento. Pois , só a partir do momento que alargamos nossa tenda, como foi feito com Abraão, é que temos oportunidade de conhecer o que antes não conhecíamos e como conseqüência disso passarmos a ter aquilo que anteriormente não tínhamos.

Se você é discípulo de Cristo não se esqueça: Não os temais, porque o SENHOR, vosso Deus, é o que peleja por vós. (Deuteronômio 3:22 ). Contudo se você ainda não o é, não se esqueça que a sua atitude e posição pode valer peso de glória.