…Caverna d'Zion…

“Clame em alta voz, não te detenha…”, pois:

Posted in Artigos Pessoais by Segundo on dezembro 17, 2009

O peso de Babilônia é o que posso sentir ao olhar um reino queimado e se degradando cada vez mais. Uma Torre de Babel me minha cabeça opõe-se a se comunicar comigo, faz-me um estrangeiro dentro de mim. Para onde irei? Rotinas ridículas num processo de auto-afirmação para contender que não sou um vegetal. Entretanto, um puro exemplar, apenas mais um fruto, de uma evolução patética de um deus macaco criado a minha imagem e semelhança, que até o momento não patenteou a roda mas deu “a luz” ao Big Bang. Cada holofote aponta para propagandas midiáticas estimulando uma promíscua relação entre o “eu” e o “eu mesmo”… vendendo “nossa” identidade como uma prostituta vende seu corpo. A mercantilizarão do capital desenvolve uma ignorância em um povinho chamado humanidade e vende-se a uma paranóia viciante de banalidade ao preço de um toco de cigarro, que é tragado e depois de “mui bem” apreciado ao gozo do consumo é descartado. Um tanto quanto, extremamente orgulhoso de ser algo que alguns chamam de orgânico. Todo ornamento científico e empírico dão prova de minha existência. Pois é… estou vivo! Isso é um mero axioma. Mas do que isso me vale?! Do que suas palavras sábias me valem? Se todas as importunas mortes batem a minha porta e nada posso falar para persuadi-las! Se os valentes, reis e deuses na terra tremem diante de suas palavras. Passarei a tratá-la bem… para que não me leve ingratamente! Triste é o engano se nisso confiar, pois a morte é deficiente não ouve, não vê, não sente… isso, porque só algo vivo tem parte com isso… por isso não podemos alcançá-la ou contendermos com ela! Morte onde esta sua ira? fomos libertos pelo Filho da justiça. SERA QUE …Diante de mim grita a ESPERANÇA? 

 Porque as nossas transgressões se multiplicaram perante ti, e os nossos pecados testificam contra nós; porque as nossas transgressões estão conosco, e conhecemos as nossas iniqüidades; Como o prevaricar, e mentir contra o SENHOR, e o desviarmo-nos do nosso Deus, o falar de opressão e rebelião, o conceber e proferir do coração palavras de falsidade. Por isso o direito se tornou atrás, e a justiça se pôs de longe; porque a verdade anda tropeçando pelas ruas, e a eqüidade não pode entrar. Sim, a verdade desfalece, e quem se desvia do mal arrisca-se a ser despojado; e o SENHOR viu, e pareceu mal aos seus olhos que não houvesse justiça.E vendo que ninguém havia, maravilhou-se de que não houvesse um intercessor; por isso o seu próprio braço lhe trouxe a salvação, e a sua própria justiça o susteve. Isaías 59:12;16

Pessimista! Que nada! A realidade é uma só… e por mais complicado ou simples que sejam as palavras a realidade não muda!!!

Anúncios

RELA-cionar…Ñ é Opção!É necessidade!

Posted in Artigos Pessoais by Segundo on abril 4, 2009

missaoDeus enquanto essência e suprema perfeição se relaciona através da trindade, o próprio Deus que se declara “Eu sou o que sou” não é um ser egocêntrico ou individualista. Esse Deus criador, o nosso Jeová, é um Deus que se relaciona primeiro com Ele mesmo… e quando falo isso estou me referindo à antes da criação “do mundo”, da humanidade! Não foi por um mero atos isolado que Deus disse “façamos o homem, a nossa imagem e semelhança”.

Nossa essência humana, enquanto feita a imagem e semelhança de Deus carrega o DNA de nosso Pai e dessa forma temos intrinsecamente a necessidade de nos relacionarmos tanto com Deus como principalmente com o nosso próximo. Entretanto esse relacionamento vai muito além da idéia de aglomeração que temos nas cidades ou nos grandes pólos onde vemos nas ruas dezenas, centenas e milhares de pessoas andando uma do lado da outro ou outro exemplo são os gigantescos conjuntos habitacionais de apartamento nos grandes centro urbanos.

casal1A graça que nos foi dada de nos relacionarmos não é opção ou muito menos uma decisão ela é uma necessidade, contudo nos foi dado a liberdade (o livre arbítrio) de decidirmos como fazemos disso ou o que fazemos com isso.

A palavra de Deus nos relata que “tudo que Deus faz tem um fim proveitoso” então cabe a pergunta: Que fim proveitoso existiria ao nos relacionarmos?

Tudo no nosso vida atual esta ligado ao relacionamento. Empresas investem pesado querendo tornar o relacionamento o mais próximo possível, pois sabe que quanto mais próximos os clientes estão maior a possibilidade de fidelização com a marca e com o produto e isso garante rentabilidade certa; todo o processo tecnológico esta firmada nessa raiz relacionametal, a internet hoje não somente é a maior ferramenta desse processo tecnológico como também é a que mais cresce, em outras palavras, anteriormente vc tinha que sair de casa para se relacionar com o seu próximo hoje não mais se precisa disso, com um simples click vc se relaciona com o outro lado do mundo é o chamado relacionamento virtual; tem se a tendência mundial dos governos de se aproximarem o máximo da população deixando de lado a burocratização para fazer um governo o mais democrático e republicano possível, procurando assim uma justiça e um equilíbrio sócio-político-econômico que só o relacionamento pode proporcionar; a própria família moderna tem tentado resgatar esse “perdido relacionamento” pois percebeu que na falta deste a própria família se torna uma instituição falida e sem propósito e tantos outros exemplos poderíamos citar para justificar que mais do que nunca a palavra relacionamento esta na “moda” moderna.

200068598-002Nem se precisa dizer então que o poder a influência do relacionamento é algo quase que decisivo na vida de um ser humano. Isso porque somente através do relacionamento podemos nos desenvolver em qualquer esfera seja econômica, social, espiritual ou em qualquer outra área da vida humana.

A palavra de Deus nos mostra que o fim proveitoso que existe ao nos relacionarmos é o progresso o desenvolvimento e a maturidade que se forma quase que de forma empírica no decorrer desse processo. Contudo, não é puramente o simples fato de nos relacionarmos que nos garante esse crescimento e desenvolvimento como resultante do processo.

Tem que se ter em mente que a qualidade desse relacionamento esta no que se pode “retirar” e “abstrair”. Não existe bons relacionamento que não se possa retirar algo de proveitoso e não existe mal relacionamento que também não se possa se aprender e apreender algo. Em outras palavras, de uma forma ou de outra se cresce, entretanto tem que se ter a perspicácia e a sensibilidade de se filtrar isso de cada relacionamento. Isso é totalmente pessoal e intransferível, essa capacidade nos difere uns dos outros e nos fazem cada dias pessoas mais diferentes uma das outras e nesse julgamento e atribuições de valores nem mesmo Deus interfere pois Ele mesmo que é o legislador desse processo de amadurecimento.

Que venhamos a ser responsáveis relacionamento-explosivopelos nossos relacionamentos e principalmente o que fazemos deles e com eles. Que a honra que nos foi dado por Deus de nos presentear de sermos pessoas diferentes (tomará que para melhores) seja também uma oportunidade de retribuir a Ele no mínimo a parte que nos compete que é de termos responsabilidade de fazer render essa dracma.

Deus é o Dono do Tabuleiro…

Posted in Artigos Pessoais by Segundo on dezembro 27, 2008

 “Todas as coisas são puras para os puros, mas nada é puro para os contaminados e infiéis; antes o seu entendimento e consciência estão contaminados.” – Tito 1.15

char_oberon1Não sou um ermitão… e pelo simples fato de estar lendo isso vc também não é, com certeza…Quando vivemos em sociedade perto de outras pessoas… e aprendemos essa verdade que Tito 1.15 nos ensina passamos a ter 2 responsabilidade:

Saber que somos livres e de acordo com nossa consciência de pureza somos puros e nisso não adianta nada de externo tentar nos provocar (nos tentando, não adianta) pois é uma razão interna que nos faz ter essa certeza e esse julgamento de pureza que não nos faz ser condenados… esse julgamento pessoal entre vc, sua consciência, e próprio Deus é totalmente individual, único e intransferível, podendo até ser justificada racionalmente para seu próximo, mas intendido e assimilado com a mesma intensidade com que é vivida por vc isso não tem como ser transferido.

Quando vivemos & convivemos com pessoas que não tem o “mesma” lógica valorativa… em palavras + fáceis: que não seguem a mesma ética. Assim, dizemos que elas estão contaminadas e são infiéis, pois não são fiéis a esses mesmos princípios que somos partidários e praticantes. Então é interessante perceber que somente na nossa “lógica” e segundo o que acreditamos é que julgamos que essas pessoas estão contaminadas. Contudo na consciência delas não tem nada de errado pois sua escala de valores são diferentes das nossas.

Deus nos ensina na sua Palavra que Ele “não leva em consideração o tempo da ignorância” (Ef.. 4:28)… então, podemos concluir que Deus é um legislador e um juiz que não “pune” a pessoa que não tem conhecimento do erro. Contudo… a palavra também fala que “tudo que o homem semeia isso também ceifará”(Gl 6:7b).

Podemos perceber que a misericórdia de Deus alcança não só os puros mas também os impuros… Entretanto a justiça também é imputada tanto aos puros quanto aos impuros, mas nesse caso “Deus não tem nada haver com isso”, pois são leis que Ele mesmo pré-estabeleceu desde a criação, não é juízo ou julgamento de Deus… é a lei da semeadura e conseguencia de nossos próprios atos.

windowslivewriteringmarbergman19182007-c3b4clip-image001122Tipo assim: Vc tá jogando um jogo (O Jogo da Vida – Do qual Deus é o Dono do Tabuleiro) e fazendo suas próprias regras, enquanto alguns estão seguindo uma regra padrão… então vc é informado que a forma que vc está jogando não está de acordo com as regras reais que o jogo determina… assim vc começa a jogar de acordo com as regras reais… vc não é penalizado por não saber que estava jogando errado (isso é misericórdia), vc não paga nenhuma multa para o Dono do jogo, não vai preso por Ele ou outra coisa do gênero… Vc passa a ser um novo jogador… Contudo, mesmo vc sendo um novo jogador suas jogadas passas não são ignoradas, o que se fez de bom e de ruim trás consigo seus frutos… O Dono do jogo apenas mudou a forma do jogador jogar e não as regras… o jogo é o mesmo, as regras são as mesmas, só a forma de vc jogar que mudou.

Dizem que: “Aqui se faz, aqui se paga.” Mas a palavra de Deus vai muito além: Começa se pagando aqui, isso é verdade sim… mas continua se pagando eternamente… e nem sem pode imaginar o quanto o preço é alto e doloroso!