…Caverna d'Zion…

Diga sim ao Sofrimento e não ao Masoquismo

Posted in Artigos Pessoais by Segundo on janeiro 29, 2010

Diga sim ao Sofrimento e não ao Masoquismo

Aprendi uma coisa a respeito da fé.

“A fé pode nos levar no lugar que desejamos chegar. Entretanto, só a fé em Deus nos leva ao lugar que Ele quer que estejamos.”

Vivemos em uma sociedade que tenta compulsivamente abolir o que “nos incomoda” seja emocional, material, espiritual, social e etc. Como fruto de um processo tecnológico o ser humano tem tentado colher o fruto de “não sofrer”. Todo contingente moderno aponta para a comodidade e juntamente com isso a abolição do que é fraco, pobre, ou ainda de coisas, sentimentos, ferramentas e decisões que nos fazem sofrer e nos causam constrangimentos.

O ser humano não quer sofrer! Não quer ser pequeno, muito menos pobre, fraco porque isso gera dor. Na verdade, dor de ver que existem coisas melhores que não possuímos. Não é simplesmente a dor de não ter o que comer, de não ter quem amar ou de não ser amado, de não ter conhecimento suficiente… não é o simples fato de sofrermos tendo a falta como causa. Mas, sofre-se mais, pelo fato de não possuir o que o outro possui, esse é o maior sofrimento, essa é a maior fraqueza, esse é o maior incômodo.

No mundo como nosso em que a competitividade é a mãe de todas as oportunidades, não se importa ser humilde, pequeno como uma criança é pura loucura (por isso não deixamos crianças serem criança), admitir fraqueza é inadmissível… Somos forçados por uma corrente que prega que o sofrimento faz parte da vida do ser humano só quando ele esta em erro, “pecado”, resultado de escolhas ruins, sempre está ligado a vergonha ou pessimismo!

A tão pregada teologia da prosperidade profere isso aos quatro cantos, o próprio capitalismo demonstra que os seus recursos são apontados para se sair dessa estrada de incômodos, provando que  a “mais valia” é a chave que nos faz parar de sofrer… alguns tentam chamam isso de civilização, talvez por causa o processo tecnológico, essse próprio desenvolvimento ilusoriamente nos afaste do sofrimento, do que nos incomoda e nos coloca certamente em uma prisão um pouco mas aconchegante  e rebuscada.

Nitidamente não queremos sofrer, fraqueza denota dor, pois nos tornamos mais vulnerados. Sabe o que isso tem a ver com fé? com aquela frase lá do início…

Essa fé, que é a certeza de conquistar sempre, cada dia mais, em uma busca material compulsiva, não só no sentido material mas principalmente egoísta do próprio eu, tem nos afastado do sofrimento, da dor, do que nos incomoda. Entretanto, não tem, e nem nos aproximado de Deus… os simples argumento de que “quanto mais longe da dor mais perto de Deus estou” é um argumento totalmente sem embasamento bíblico. Pois se assim fosse o próprio messias estaria em toda a sua estada terrena longe de Deus.

O que incomoda é ver cristãos em posições que ele mesmo conquistou por sua própria fé (diga-se de passagem lugares louváveis) e culpar à Deus por suas limitações e frustrações quando percebem que o caminho e o lugar onde chegou não o satisfez como ele mesmo gostaria de ser satisfeito… em outra palavras, o melhor lugar na sua mente, o melhor lugar no tocante a reputação, o melhor lugar em relação ao poder aquisitivo, o melhor lugar com sua beleza exterior… nada disso levou a vontade boa, agradável e perfeita que é o que Ele nos garante na sua palavra.

Resumindo a vontade de Deus não exclui ou deleta a fraqueza, a pobreza ou aquilo que nos incomoda,  ela não anula nossas frustações ou medos ou o que temos em nós que nos gera dor! A vontade de Deus tem compromisso com uma coisa, com o novo homem que está dia-a-dia sendo gerado em nós e assim sendo tudo que somos, positivamente ou negativamente, segundo nossa visão é utilizado por Ele como ferramenta para moldar esse caráter de Cristo em nós.

Revesti-vos do novo homem que se refaz de pleno conhecimento, segundo a imagem daquele que o criou. Col 3:10

Deus não quer saber do seu ou meu comodismo, não quer saber se não gostar de sentir dor (seja que de espécie for). Deus quer somente uma coisa! Se refazer em nós e se para isso for necessário fazer-nos sofrer Ele vai utilizar dessa ferramenta, não vou nem mencionar o caráter terapêutico do sofrimento na vida dos grandes homens de Deus que a palavra relata.

Mas caro amigos podem ficar tranqüilos que isso só vai passar aqueles que estão com sua fé em Deus, aqueles que querem andar segundo o Seu propósito. Esses são os escolhidos e não somente chamados. A teologia da properidade não chega tão longe, pode ficar tranqüilo e continuar fazendo suas campanhas para parar de sofrer… é direito seu, foi te dada essa liberdade de escolha! Mas se lembre: “A fé pode nos levar no lugar que desejamos chegar. Entretanto, só a fé em Deus nos leva ao lugar que Ele quer que estejamos.”

” O sofrimento é o melhor remédio para acordar o espírito.” (Émile Zola)

Anúncios

Papai Noel diz:”Pedi”…. Mas Deus te fala:”Planeja”….

Posted in Artigos Pessoais by Segundo on dezembro 30, 2009

Pedir é diferente de Planejar

Temos aproximado do Natal e conseqüentemente de mais uma Ano Novo, novas expectativas, projetos, sonhos faz palpitar nosso coração e enche-nos de ânimo e vigor para começar a jornada de mais um uma ano. Com todo esse ar de “bondade”, “espírito natalino”, “pisca-piscas” que transmitem alegria e outros ornamentos tipos que temos todo fim de ano, tendemos a ver Deus no final de cada ano como um verdadeiro Papai Noel. Colocamos nossos projetos e planejamentos diante de Deus como numa cartinha escrita com a sinceridade e a pureza de uma criança para seu saudoso e bom velhinho que passa todo fim de ano…

 “Querido Papai Noel esse ano fui um bom garoto…. e por isso quero pedir… e também quero…”Nisso, não deixemos nos envolver pelos ritos transitórios, tanto quanto, saborosos do natal e do “bom velhinho” nem, muito menos, as empolgantes expectativas para o novo ano, pois a cartinha e o pedidos para Deus não valeram sem seus projetos e seus planos.

Quando somos tomados por novas expectativas e novos projetos, como temos no ambiente de fim de ano, uma coisa totalmente natural, é mais que normal e totalmente necessário a ação de planejar e de pensar nosso sonhos… e os apresentar diante de Deus. Entretanto tem uma grande diferença entre PLANEJAR & PEDIR a Deus o que “QUEREMOS”.

Por uma questão de “ambientação” (não somente, mas principalmente no caso o fim de ano) somos levado pela correntezas de pedir, pedir e pedir… como instintivamente faz a criança com o Papai Noel. Mas vale lembrar que não somos crianças! e Deus se lembra disso também! Deus quer que venhamos a PLANEJAR. Não podemos inverter a ordem estabelecida por Deus por ocasião de uma data ou de uma tradição. Entretanto, imaturamente caímos no erro de fazermos isso: Pedimos mas não planejamos; ou, pedimos e depois planejamos.

Tem que se ter em mente que o “pedir” faz parte do “planejar” e não o contrário. Deus fala na tua palavra “Se projetas alguma coisa, ela te sairá bem, e a luz brilhará em teus caminhos”Jó 22:28.

Primeiro se PLANEJA, como parte de um processo, PEDIR é conseqüência natural do planejar.

“Atendei, agora, vós que dizeis: Hoje ou amanhã, iremos para a cidade tal, e lá passaremos um ano, e negociaremos e teremos lucros. Vós não sabeis o que sucederá amanhã. Que é a vossa vida? Sois apenas como neblina que aparece por instante e logo se dissipa. Em vez disso, devíeis dizer: Se o Senhor quiser, não só viveremos, como também faremos isto ou aquilo.”Tiago 4:13,14

E como no erro de pedir a Deus como uma criança pede ao Papai Noel temos uma frase muito comum: “O futuro a Deus pertence” (Podemos ate parafrasear com Tiago 4:14). Frase verdadeira, mas infelizmente tem muita gente se escondendo atrás dela, usando-a como desculpa para ficar de braços cruzados, tem usado-a como desculpa para negligenciar e justificar o que poderia ter conquistado mas não conquistou.

Planejamento é obrigatoriedade, é requisito para se prosperar, desenvolver, crescer.

O escritor de Provérbios (16:9) ressalta: O coração do homem planeja o seu caminho, mas o SENHOR lhe dirige os passos e João 16:24 nos mostra que pedir é opção, é escolha, para obtermos o melhor de Deus, entretanto o “pedir” Não é o início do processo: Até agora nada pedistes em meu nome; pedi, e recebereis, para que o vossa alegria seja completa.

Como em Lucas 14:28 “Pois qual de vós, querendo edificar uma torre, não se assenta primeiro a fazer as contas dos gastos, para ver se tem com que a acabar? Para que não aconteça que, depois de haver posto os alicerces, e não a podendo acabar, todos os que a virem comecem a escarnecer dele,dizendo: Este homem começou a edificar e não pôde acabar.”

Planejar segundo o que nos mostra a palavra de Deus é necessidade de um cristão e desenvolve o obedecer a Deus já o pedir e expressão da graça e do amor de Deus que se revela em misericórdia.